Atualizado em Junho de 2019
SIMPLES NACIONAL
 

O Estatuto Nacional da Microempresa (ME) e da Empresa de Pequeno Porte (EPP), instituído pela Lei Complementar nº. 123, em 14 de dezembro de 2006, estabelece tratamento diferenciado e favorecido às micro e pequenas empresas no âmbito dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Contempla dentre outras vantagens à preferência nas licitações públicas, à facilidade de acesso ao crédito, à tecnologia, ao associativismo, às relações de trabalho, o acesso à justiça e ao cadastro nacional único de contribuintes.

Compete ao Comitê Gestor do Simples Nacional (CGSN) regulamentar a opção, exclusão, tributação, fiscalização, arrecadação, cobrança, dívida ativa, recolhimento e, apreciar a necessidade de revisão, a partir de 1º de janeiro de 2015, dos valores expressos em moeda da Lei Complementar 123/06.

O art. 12 da LC 123/06, em 01/07/2007, instituiu o SIMPLES NACIONAL que é regime tributário diferenciado, favorecido e unificado de apuração e recolhimento dos impostos e contribuições da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

Consideram-se microempresas ou empresas de pequeno porte a sociedade empresária, a sociedade simples, a empresa individual de responsabilidade limitada e o empresário a que se refere o art. 966 da Lei n º 10.406, de 10 de janeiro de 2002 (Código Civil), devidamente registrados no Registro de Empresas Mercantis ou no Registro Civil de Pessoas Jurídicas.

No caso da microempresa, aufira, em cada ano-calendário, receita bruta igual ou inferior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais); e no caso da empresa de pequeno porte, aufira, em cada ano-calendário, receita bruta superior a R$ 360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais) e igual ou inferior a R$ 4.800.000,00 (quatro milhões e oitocentos mil reais).

Alterações da Lei Complementar nº 123, de 2006: LC 127, de 14/08/07; LC 128, de 19/12/08; LC 133, de 28/12/2009; LC 139, de 10/11/2011; LC 147, de 07 de agosto de 2014; LC 155, de 27 de outubro de 2016.

As informações também estão embasadas na Resolução CGSN 140 de 22 de maio de 2018 que produziu efeitos a partir de 01/08/2018 e representa a Consolidação Normativa do Simples Nacional, com última alteração publicada em 21/08/2018, Resolução do CGSN No.142.

A Resolução CGSN No 140/2018, também revogou a Resolução CGSN 94/2011 e suas alterações que produziram efeitos até 31/07/2018.

Dúvidas não incluídas nos questionamentos abaixo devem ser esclarecidas através do Call Center (08000710071) Ligações de celular (3319-2501) ou do plantão fiscal (71) 3115-2549 / 2458 / 8868) da Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia.

 
Assuntos Gerais pdf 29 Kb
Cadastro SEFAZ BA pdf 50 Kb
Opção e Migração pdf 26 Kb
Parcelamento de Débitos no Site da RFB pdf 25 Kb
Parcelamento de Débitos na SEFAZ/BA – Referente ao Contencioso da Fase pdf 29 Kb
Cálculo e Recolhimento pdf 22 Kb
Crédito Fiscal e Crédito Presumido pdf 47 Kb
Antecipação Parcial, Diferencial de Alíquota e Substituição Tributária pdf 37 Kb
Diferencial de Alíquota pdf 37 Kb
Antecipacao e Substituicao Tributaria com Encerramento de Fase pdf 37 Kb
Substituicao Tributaria pdf 37 Kb
Obrigações Acessórias pdf 44 Kb
Escrituração Fiscal e Declarações pdf 19 Kb
Exclusão do Simples Nacional pdf 24 Kb
Processos de Consulta pdf 10 Kb
Compensação de Valores do Simples Nacional pdf 9 Kb
Restituição do ICMS – SEFAZ/BA pdf 8 Kb
Operações Diferenciadas na Legislação Estadual pdf 10 Kb